O que é a Computação?    

    A computação pode ser definida como a busca de uma solução para um problema a partir de entradas (inputs) e tem os seus resultados (outputs) depois de trabalhada através de um algoritmo. É com isto que lida a teoria da computação, subcampo da ciência da computação e da matemática. Durante milhares de anos, a computação foi executada com caneta e papel, ou com giz e ardósia, ou mentalmente, por vezes com o auxílio de tabelas ou utensílios artesanais.

    A partir da segunda metade do século XX, com o advento dos computadores electrónicos, a Computação passou a ter uma presença cada vez mais marcante na sociedade, influenciando a vida diária de parte da população mundial. A partir da década de 1950, a Computação ganhou o status de Ciência surgindo então o termo ciência da computação, uma área do conhecimento humano hoje fortemente ligado à produção de software.

    A capacidade do ser humano em calcular quantidades nos mais variados modos foi um dos factores que possibilitaram o desenvolvimento da Matemática e da Lógica. Nos primórdios da matemática e da álgebra, utilizavam-se os dedos das mãos para efectuar cálculos.

    A primeira ferramenta conhecida para a computação foi o ábaco, cuja invenção é atribuída a habitantes da Mesopotâmia, em torno de 2400 a.C.. A sua forma original era a desenhar linhas na areia com rochas. Versões mais modernas do ábaco ainda são usadas como instrumento de cálculo.

    O ábaco dos romanos consistia em bolas de mármore que deslizavam numa placa de bronze cheia de sulcos. Também surgiram alguns termos matemáticos: em latim "Calx" significa mármore, assim "Calculos" era uma bola do ábaco, e fazer cálculos aritméticos era "Calculare".

 

Ábaco Romano

    Quando John Napier (1550-1617) descobriu os logaritmos para uso computacional no século XVI, seguiu-se um período de considerável progresso na construção de ferramentas de cálculo.

    A primeira máquina de verdade foi construída por Wilhelm Schickard (1592-1635), esta era capaz de somar, subtrair, multiplicar e dividir. Essa máquina foi perdida durante a Guerra dos Trinta Anos. Durante muitos anos nada se soube sobre essa máquina, por isso, atribuía-se a Blaise Pascal (1623-1662) a construção da primeira máquina calculadora, que fazia apenas somas e subtracções. A calculadora usava engrenagens que a faziam funcionar. Pascal recebeu uma patente do rei da França para que lançasse a sua máquina no comércio.

Calculadora de Pascal (a esquerda) e engrenagens (a direita)

    O projecto de Pascal foi bastante aprimorado pelo matemático alemão Gottfried Wilhelm Leibniz (1646-1726), o qual sonhou que, um dia no futuro, todo o raciocínio pudesse ser substituído pelo girar de uma simples alavanca.

    Em 1820, o francês Charles Xavier Thomas, conhecido como Thomas de Colmar, projectou e construiu uma máquina capaz de efectuar as 4 operações aritméticas básicas: a Arithmomet. Esta foi a primeira calculadora realmente comercializada com sucesso. Ela fazia multiplicações com o mesmo princípio da calculadora de Leibnitz e efectuava as divisões com a assistência do utilizador.

Thomas de Colmar (a esquerda) e Arithomemet (a direita)

    Todas essas máquinas, porém, estavam longe de ser um computador de uso geral, pois não eram programáveis. Isto quer dizer que a entrada era feita apenas de números, mas não de instruções a respeito do que fazer com os números.