Os Computadores Pessoais nas Empresas

IBM-PC

 

    Em 1980, a IBM estava convencida de que precisava entrar no mercado da microinformática e o uso profissional dos microcomputadores só evoluiu quando a IBM entrou nesse mercado. A empresa dominava (e domina até hoje) o mercado de computadores de grande porte e, desde a primeira metade do século XX, máquinas de escrever com a sua marca estavam presentes nos escritórios de todo mundo. Como não estava habituada à agilidade do novo mercado, criado e dominado por jovens dinâmicos e entusiasmados, a gigantesca corporação decidiu que o PC não podia ser criado a mesma velocidade a qual ela estava habituada a desenvolver novos produtos.

    Por isso, a empresa criou uma força tarefa especial para desenvolver o novo produto. Assim, um grupo de 12 engenheiros liderados por William C. Lowe foi instalado num laboratório em Boca Raton, na Florida, longe dos principais centros de desenvolvimento da corporação que, até hoje, ficam na Califórnia e em Nova Iorque. O resultado desse trabalho foi o IBM-PC, que tinha um preço de tabela de 2.820 US$ cerca de 2.219 euros), bem mais caro que os concorrentes, mas foi um sucesso imediato.

William C. Lowe

 

 

IBM em Boca Raton

    Em 4 meses foram vendidas 35 mil unidades, 5 vezes mais do que o esperado. Como observou o jornalista Robert Cringley: "Nunca ninguém tinha sido despedido para comprar produtos IBM".

    Os microcomputadores deixaram definitivamente de ser um brinquedo.